Partido dos Trabalhadores (PT) tem novo endereço em Guarulhos

Padrão

P1100329-horzCom a presença de poucos militantes, por causa das comemorações do carnaval, o Partido dos Trabalhadores (PT), inaugurou oficialmente na noite dessa sexta-feira (5/1), sua nova casa na cidade de Guarulhos.

 

A sede regional do partido, que nos últimos anos esteve na Rua Henry Simonsen, no Centro de Guarulhos, a partir de agora passa a receber os militantes na Rua Vera, 69 no Jardim Santa Mena, região do Bairro Picanço.

 

P1100303Segundo o Presidente Paulo Vitor a atual diretoria tem feito grande esforço para que o PT conquiste sua sede própria na cidade, e o primeiro grande passo já foi dado com a aquisição de um terreno, aonde será construída a casa própria do Partido dos Trabalhadores(as).

 

Para os diretores essa é mais uma conquista da militância do partido, a quem agradeceram pelas contribuições da mesma através da aquisição de rifas destinadas à realização da sede própria.

 

O evento contou com a presença dos Vereadores Marisa de Sá e Laércio Pereira, além do Deputado Estadual Alencar Santana, provável pré-candidato à sucessão do atual Prefeito nas próximas eleições, e do Prefeito Sebastião Almeida, a quem o Presidente Paulo Vitor atribuiu o primeiro desejo da construção de uma sede própria para o partido já na década de 1980.

 

 

Fotos Reginaldo Bezerra

Anúncios

Orçamento Participativo de Guarulhos visita obras em andamento na Cidade

Padrão

catsbNeste sábado (05/12) o Orçamento Participativo (OP) de Guarulhos organizou uma caravana com Delegados e Conselheiros do OP para visitar obras em construção pela Cidade.

Em conseqüência da atual situação política do País, que tem contribuído de forma significativa à desaceleração da economia, um dos setores mais afetados foi justamente o da construção civil.

Em Guarulhos a situação não é diferente, no último ano, houve redução no ritmo de construção e até a paralisação de algumas obras em andamento na Cidade.

Uma das principais obras da Cidade, a do novo trevo de Bonsucesso, para a população que se utiliza com freqüência daquele trecho da Via Dutra, a impressão é que a obra está paralisada, no entanto, ela segue conforma as condições climáticas.

O foco atual está na construção de galerias fluviais, que são extensas, e, como o período é de chuva, perde-se muito tempo, dias, com bombeamento de água nos locais de obras, segundo a administração.

Em tempos de crise há necessidade de priorização.

catsEnquanto algumas obras sofrem com a desaceleração no andamento, outras têm suas finalizações priorizadas.

Uma que está em fase final, é a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jardim Paulista, no Parque Continental.

A caravana foi dividida em três roteiros, assim como os visitantes, de forma que os Conselheiros e Delegados pudessem optar por visitar obras que ainda não conheciam.

 

Fotos: Reginaldo Bezerra

Segunda etapa do Congresso do Orçamento Participativo

Padrão

Nesse sábado (14/11) aconteceu a segunda etapa do Congresso do Orçamento Participativo (OP) da Cidade de Guarulhos no Adamastor.
Com o tema Inclusão Social em discussão, os Conselheiros e Delegados do OP, representando a população das diversas regiões da cidade, aproveitaram a oportunidade para questionar os representantes do Governo Municipal, em especial os das Secretárias as quais apresentam um maior volume de reclamações; a Secretaria da Saúde cuja o Secretario é o Sr. Carlos Derman que por ser também vice-prefeito, na ocasião acumulou ainda a função de Prefeito em exercício e a Secretaria da Educação cuja o Secretário o Vereador licenciado Professor Moacir, foi muito feliz em seu discurso passando informações e orientações de grande importância à população, (ver vídeo), para resolução de problemas com desempenho de familiares nas escolas.
Nessa segunda etapa, além Saúde e Educação, foram discutidos temas como: Assistência Social, Direitos Humanos, Cultura e Esportes.
A próxima etapa do Congresso do OP acontecerá no dia 28/11, com foco no tema Participação Popular (Orçamento Participativo, Conselhos e Conferências).

Direito de manifestação e reinvindicação não é obrigação

Padrão

Em uma nação livre se pressupõe que seu povo tenha o livre arbítrio para tomar decisões individuais.
Quando se fala em direitos e deveres, entende-se direito como beneficio e deveres como obrigações.
Não entendo porque manifestantes e grevistas quando se valem desse direito de se expressar e reivindicar, se acham no direito de querer obrigar outras pessoas a aderirem à suas lutas e reivindicações. Afinal, é direito de greve, direito a manifestação ou obrigação de greve e de manifestação?
No Brasil, um País livre e que estende essa liberdade a seu povo, esse tipo de atitude é muito recorrente.
Falta respeito ao semelhante, falta consciência de que o exercício do meu direito não me credencia a obrigar outros a me acompanharem. É o tipo de atitude que revela o grau de intolerância de um povo.
É lamentável que em pleno século XXI o ser que se auto-denomina humano ainda tenha esse tipo de comportamento.

Congresso do Orçamento Participativo em Guarulhos

Padrão

P1090797A Cidade de Guarulhos realizou nesse sábado 24/10, no Teatro Adamastor, a primeira etapa do Congresso do Orçamento Participativo (OP).

O evento realizado no decorrer do dia foi aberto pelo Prefeito Sebastião Almeida e contou ainda com a presença do Vice-prefeito e Secretário da saúde Carlos Derman, do Deputado Estadual Alencar Santana, Vereadores, além de representantes de diversas Secretarias Municipais, Conselheiros e Delegados do OP, Lideranças de Bairros e pessoas da sociedade civil. As próximas etapas acontecerão nos dias 14 e 28/11.

Nesta primeira etapa foram apresentados balanços do que já foi realizado nos últimos anos, os desafios e as oportunidades para os próximos anos.P1090803

O foco dos debates nesta etapa foi Desenvolvimento Urbano. Os participantes foram divididos em salas temáticas onde cada uma discutiu temas como: Mobilidade Urbana, Habitação, Meio Ambiente, Segurança e Cidadania, Desenvolvimento Econômico, Abastecimento de Água, Drenagem e Tratamento de Esgoto.

Nas próximas etapas os temas serão: Inclusão Social (Saúde, Educação, Assistência Social, Direitos Humanos, Cultura, Esportes) e Participação Popular (Orçamento Participativo, Conselhos, Conferencias).

O Orçamento Participativo é uma ferramenta de participação popular que dar oportunidade ao cidadão de contribuir de forma ativa na indicação de projetos e abras necessárias em sua região. O modelo tem sido implantado em diversas cidades no Brasil e copiado inclusive por outros Paises.

Fotos Reginaldo Bezerra

Partidos Politicos, apenas intermediários

Padrão

É no minimo uma ingenuidade achar que uma Ditadura possa ser melhor para uma Nação que um Governo Democratico, por mais manipulada que seja essa Domocracia. Porém, de toda situação vivida, há sempre algo de bom para ser levado em conta. Se tem algo que não era de todo mal durante o Regime Militar no Brasil, pelo menos nos últimos anos daquele Governo, era o bipartidarismo. Não tenho dúvida que era muito mais fácil para o eleitor escolher entre candidatos do ARENA (Aliança Renovadora Nacional) Ironicamente o Partido do Governo, da situação e MDB (Movimento Democrático Brasileiro), hoje PMDB. Com o fim do Regime Militar, a abertura politica e a Constituição de 1988 a criação de Partidos Politicos virou algo sem limites. Como todo Partido devidamente registrado tem direito ao Fundo Partidário, (formado em parte com dinheiro público), a criação de Partido Politico virou “negócio”. Cria-se Partido Politico hoje como se estivesse montando uma barraquinha de camelô. Basta que um politico se sinta preterido em um determinado Partido ao qual é filiado, e logo ele decide criar o seu próprio Partido. Esta semana o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou o “RS” (Rede Sustentabilidade) da Ex-senadora Marina Silva, e rejeitou, pasmem o “PNC” (Partido Nacional Corintiano). No inicio da abertura politica, os novos Partidos procuravam se identificar com determinados grupos sociais, Democratas, Socialistas, Trabalhadores/Trabalhistas, Comunistas; até que chegou-se a o ponto de se ter que misturar grupos destintos; Social Democrata, Social Cristão, Social Liberal, e por aí vai até que novos termos começaram a ganhar popularidade a ponto de despertar a atenção das velhas raposas da palitica; termos como Ecologia, Sustentabilidade, Solidariedade, e hoje são esses termos que passaram a incorporar o livro de registro de Partidos Politicos. O eleitor que ainda se preocupa com ideologias fica perdido quando quer escolher com qual filosofia partidária se identifica. A quantidade de Partidos ja é tão grande, são hoje 34 oficiais, fora os que estão em processo de aprovação, que em periodos eleitorais o que mais ver, não é mas a legenda do Partido, e sim um agrupamento de siglas formado pelas co-ligações que até dificulta para o eleitor compreender a formação de governo, por conta dos acordos firmados em campanha. Se não houver um limite, nem o cuidado do TSE, não demora alguem vai querer registrar o Partido da Comunidade Cristã, cuja sigla eu prefiro deixar para que o leitor descifre. Como a maioria dos Partidos são verdadeiras “súcias” para não utilizar um termo mais popular, o povo já não se identifica com Partidos e ver na figura do Partido Politico, a instituição mais corrupta do Planeta. Como acho que não basta criticar, é preciso buscar alternativas, vejo como solução para mudar a imagem da politica e dos politicos brasileiros, uma reforma politica verdadeira, com redução da quantidade de Partidos, ou até, a extinção da instituição “Partido Politico” que não passa de um intermediário entre o candidato e os Tribunais Eleitorais, mas, que por sua vez, vivem da movimentação de dinheiro público e usam a politica como negocio.